SS Lazio Brasil - O espaço biancoceleste no Brasil

SS Lazio Brasil

O espaço biancoceleste no Brasil

Os melhores e piores portugueses da Lazio

Postado em 31 de agosto de 2017 por



No último dia da janela de transferências da temporada, a Lazio confirmou a contratação de três portugueses. O mais conhecido é o meia-atacante Nani de 30 anos, mas chegaram também os jovens do Braga: o ponta Pedro Neto (classe ’00) e o meia Bruno Jordão (classe ’98).

O trio se junta a outros três portugueses que estão na equipe Primavera: Madiu Bari (classe 98’), Al Hassad Lamin (classe ’99) e Jorge Silva (classe ’99). Além disso, a legião de língua portuguesa da Lazio chega a 12 nomes: os brasileiros Felipe Anderson, Lucas Leiva, Luiz Felipe, Wallace e Maurício e o angolano Bastos.

A expectativa é que o grupo continue a história dos portugueses na Lazio. Desde Francisco dos Santos até Pereirinha e Hélder Postiga, passando por Fernando Couto e Sergio Conceição, conheça o jogadores de Portugal que vestiram a camisa biancoceleste.

O pioneiro

Lazio 1907

Francisco dos Santos é mais conhecido por ser escultor e pintor do que por sua habilidade dentro de campo, mas foi o segundo estrangeiro a vestir a camisa da Lazio. O início da trajetória de Francisco pela Lazio se deu muito ao acaso.
Em 1906, ao passear com seu cão, ele observou um treinamento da equipe biancoceleste e ficou impressionado com o futebol praticado pelo time. No dia seguinte, já com trajes esportivos, pede uma vaga na equipe e acaba sendo aceito.

Com experiência como futebolista em Portugal, em pouco tempo Francisco se torna uma dos melhores jogadores da Lazio. Em poucos meses, além de ser titular indiscutível ele também acaba sendo o capitão da equipe na conquista da Copa Tosti e Baccelli e do inter-regional de Pisa em 1908.

Tempos bons

11__conceicao_98

Depois de quase 90 anos sem nenhum português, a Lazio de Sergio Cragnotti contratou dois de uma vez e acertou em cheio na temporada 1998/99.

O zagueiro Fernando Couto chegou do Barcelona (junto ao espanhol Ivan de La Peña) em negócio que custou 28 milhões de Liras e o meia atacante Sérgio Conceição veio do Porto por 15 milhões de Liras.

Mesmo chegando aos 24 anos, a passagem de Conceição foi mais curta, durando duas temporadas, e gerou no total 11 gols em 113 jogos e o total de seis títulos: uma Serie A, duas Coppa Italia, uma Supercopa Italiana, uma Supercopa Europeia e uma Copa das Copas.

Um dos pontos altos da sua passagem foi o gol do título da Supercopa Italiana marcado aos 49 minutos do segundo tempo contra Juventus em 1999.

Por sua vez, Couto chegou a Lazio com 29 anos após ter passado por Porto, Parma e Barcelona. Vivendo altos e baixos, o zagueiro/volante foi um dos pilares defensivos da melhor fase do clube permanecendo até 2005, quando aos 36 anos retornou ao Parma.

Neste período, o português, além dos mesmos títulos de Conceição, ainda participou da vitória na Supercopa Italiana de 2000. Ao todo foram os mesmo 11 gols do compatriota em 215 jogos.

Sem chances

c_3_media_820648_immagine

Em 2009, a Lazio pagou 1 milhão de Euros para o Málaga pelo ponta direita Eliseu, de 26 anos, mas o português não teve muitas oportunidades na equipe do técnico Edoardo Reja. A passagem só durou seis meses e em janeiro, Eliseu foi emprestado para o Zaragoza e nunca mais vestiu a camisa laziale.

Após algum tempo, Eliseu virou um bom jogador chegando a ser uma peça importante na Seleção Portuguesa que conquistou a Eurocopa em 2016.

“Não me fale deles”

474414

A indiferença por Eliseu não se repete nos dois portugueses seguintes. Em janeiro de 2013, a expectativa da Lazio era de buscar alguns reforços importantes para ajudar na briga pro vagas europeias, mas ao invés disso, chegou o atacante francês Louis Saha e um desconhecido ala português chamado Bruno Pereirinha.

Sob comando de Vladimir Petkovic, o jogador atuou em 11 partidas, mas não agradou nem o treinador nem a torcida. Dispostos a dar mais tempo para não repetir o erro anterior, no ano seguinte ele atuou em mais 11 partidas e no momento sabia-se que ele não vingaria

Ao todo foram 27 jogos sem marcar e uma passagem para jogar no Atlético-PR onde também não agradou ninguém.
Na temporada seguinte a chegada de Pereirinha, foi a vez de chegar o centroavante Helder Postiga também no mercado de janeiro. Mas a passagem não durou muito e foram apenas cinco jogos e nenhum gol marcado.

Buscar no Blog